Como seria ter um presidente com 90% do corpo tatuado? A República Tcheca tem o seu possível candidato.

0 Flares 0 Flares ×

Fotos: Divulgação

Estamos certos que para a escolha de um político devemos analisar o plano de governo por este apresentado, além de seu histórico.  Coisa que aqui no Brasil não acontece, parece que a memória política é curta ou inexistente. A exemplo, o que o senhor Fernando Collor de Mello está fazendo no Senado (PTB-AL)? Pois é, apenas um exemplo ilustrativo e que já dá vergonha o suficiente dessa nossa democracia.

Ainda hoje para a escolha de um político é levado em consideração “a capa do livro”, isto é, aquilo que o sujeito aparenta ser, pela superficialidade do seu exterior. As pessoas (obviamente e felizmente não todas) foram programadas para comprar o bom moço: branco, cristão e heterossexual. Afinal de contas, o que for contrário a essa ordem construída historicamente é ruim ou não tão bom quanto o modelo do mocinho, por mais que lá na frente se descubra que na verdade “compramos” o bandido.

Ao que nos consta a aparência física dos políticos ainda é algo que é bastante levada em consideração e que sublinham as características de uma sociedade doente, machista, racista e sexista. Não deixamos de nos recordar do processo de “transformação” ao qual a nossa atual presidenta foi submetida, com fins de se tornar mais agradável (leia-se vendável e consumível).

A aparência física – assim como a questão da orientação sexual e gênero – deveria ser colocada em um plano secundário ou de menor ou nenhuma importância. São questões que não definem competência, caráter e capacidade.

Assistimos as mudanças no mundo que parecem acontecer com passos curtos, seja  com a presença das mulheres assumindo a presidência de países, seja com a figura de um presidente negro nos Estados Unidos da América. Ainda, nas últimas eleições presidenciais da Finlândia tivemos a figura de um candidato assumidamente homossexual que lutou bravamente no segundo turno, onde foi derrotado. Agora é a vez da República Tcheca movimentar o status quo, para nossa alegria e alívio.


Um dos possíveis candidatos a disputar a presidência do país, o senhor Vladimir Franz,   tem 90% do corpo tatuado e um currículo no mínimo interessante. Para entrar na disputa de 2013, Franz precisa conseguir 50.000 mil assinaturas. Logo na primeira semana ele obteve quase 9.000.
Vladimir Franz é doutor em Direito, artista plástico, compositor e um professor de teatro em uma das principais universidades tchecas. As suas tatuagens são apenas uma parte, um detalhe dele.

Quando vimos as primeiras matérias sobre Franz circulando nos jornais, a nossa primeira preocupação foi se ele estava sendo encarado como uma piada na Europa, do tipo – com o seu peso e medida – ao que foi o Tiririca por aqui. Ao que parece não. Quando questionamos um colega tcheco sobre a possível candidatura, a resposta dele foi “oh, o nosso músico e artista de ópera”, na sequência nos passou um vídeo da campanha de Franz. Ficamos agradecidos, mas infelizmente não falamos tcheco e o vídeo carece de legendas. A reação de nosso colega nos inspirou certo alívio, afinal de contas é um cidadão tcheco falando.

É certo que a presença de Franz no cenário da política europeu e mundial já esteja causando murmúrios e longas discussões. Sendo eleito ele romperia com inúmeros dogmas e paradigmas da política e muitos discursos precisariam ser revistos. De antemão, apenas como um possível candidato já sentimos o estremecer de sua presença e face rabiscada.

Ficamos felizes em saber que provavelmente teremos um candidato – o primeiro da história – com o corpo inteiro marcado, disputando ao cargo de chefe do Estado. Mas iremos torcer por ele quando conhecermos melhor todas as suas propostas e não apenas pelo fato dele ser tatuado. Isso é apenas um detalhe e acreditamos que não seja fator significante para escolher ou excluir alguém.

Provavelmente falaremos dele em breve.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

3 thoughts on “Como seria ter um presidente com 90% do corpo tatuado? A República Tcheca tem o seu possível candidato.”

Deixe uma resposta