Das sombras para as cores: entrevista exclusiva com o tatuador Moreno Simões

0 Flares 0 Flares ×

Foto: Moreno Simões / divulgação

1061683_690717667621670_1563284453_n

Confiram com exclusividade a entrevista que fizemos com o tatuador Moreno Simões. O profissional que vem desenvolvendo um trabalho bem interessante, prático e de formação de novos profissionais, com o estilo de tatuagem New School. Muitas reflexões para quem se interessa em ilustrar a pele de forma indelével.

_______________________________

T. Angel: Você começou a tatuar com 16 anos. Houve tempo de ter alguma outra profissão além de tatuador?
Moreno Simões: Antes de ser tatuador eu era apenas amante de desenhos e praticava bastante, mas apenas como diversão.

T. Angel: Com quantos você fez a sua primeira tatuagem?
Moreno Simões: Minha primeira tattoo fiz com 15 anos.

T. Angel: O que você acha da lei estadual de n.º 9.828, de autoria do deputado estadual Campos Machado (PTB) que proíbe que se faça tatuagem em piercing em menores de idade desde 1997?
Moreno Simões: Acho a lei cabível pois antes de completar a maior idade mudamos muitas vezes de opinião e de gosto. Acho uma boa idade pra começar a se tatuar com 18 anos, as ideias estão mais convictas na cabeça.

 

T. Angel: Você considera obrigatório o conhecimento em técnicas de desenho para se tornar um bom tatuador?
Moreno Simões: Acho indispensável na vida de tatuador os conhecimentos de desenho. Quando se estuda uma obra no papel se pré-estabelece uma segurança e conhecimento no momento de realizar o trabalho na pele.

T. Angel: Qual sua opinião sobre as convenções de tatuagem?
Moreno Simões: Acho muito positivas quando feitas com critérios justos de avaliação, pra que assim não exista um favorecimento à artistas já renomados e, que assim novos talentos possam ser descobertos e prestigiados com o simbolismo de um prêmio.  Dessa forma, vir a tona o seu tão sonhado reconhecimento entre tantos.
Sou prova viva da importância de uma convenção na vida de um tatuador, foi com elas que venho aprendendo muito todos os dias na vida e tive o reconhecimento que hoje me possibilita ter o prazer de responder um questionário desses. Além de outras portas que se abrem.

T. Angel: Para você, toda tatuagem é obrigatoriamente uma peça de arte e assim sendo, todo tatuador é um artista¿
Moreno Simões: Pra mim sim, a tattoo é a maior expressão que conheço de arte na atualidade, onde sua obra é exposta nos mais diversos públicos e tem as mais diversas opiniões sobre seu trabalho. Encaro sim todo tatuador um artista quando se tem uma entrega grande ao que se propõe fazer.
Fato que existem artistas e também tatueiros. rs

 T. Angel: Você inicialmente era bastante focado no trabalho black and grey e influenciado pelo trabalho de Bob Tyrrell, Robert Hernandes e Paul Booth. Conte um pouco sobre essa sua fase?
Moreno Simões: Nessa fase da carreira eu era fortemente influenciado pelas capas dos discos de Death e Thrash Metal das décadas de 80 e 90. Levei isso comigo durante 10 anos de carreira, até descobrir com o New School que na verdade meus trabalhos de sombra eram apenas decorados com sombras e não colocadas onde deviam estar. O contato com o New school me trouxe total visão do que se trata de iluminação numa obra, trazendo hoje para o meu trabalho também preto e branco, a sensação de relevos e profundidades reais e não. Como nas antigas, onde decorava o trabalho com preto sem critério algum.
Hoje entendo que não tive o destaque com esse estilo em outros tempos por falta de conhecimento e de estudos do mesmo.

 1059880_690716904288413_1083253394_n

T. Angel: Em 2010 você passa a investir no New School, como foi essa passagem¿ Quais as principais dificuldades?
Moreno Simões: Acho que a principal dificuldade foi a não aceitação dos demais artistas do New em ter um outro sujeito se desenvolvendo em tal estilo, mesmo não pertencendo ao universo que envolve esse arte. Aí pintaram as críticas, desafios e chacotas que só me motivaram a buscar cada vez mais renovar o estilo pra que assim deixasse a minha marca nesse tão amplo cenário da arte.
Meu estilo no final das contas acabou se tornando uma referencia nacional de New School após conseguir, por 3 anos consecutivos, aproximadamente 30 prêmios nessa categoria. Tornando os critérios avaliados em eventos baseados no meu estilo de trabalho e assim tendo  o tão sonhado reconhecimento artístico.
Hoje tudo que faço leva elementos do New School, dando um toque especial até mesmo nos trabalhos comerciais ou de outras culturas. O New school entrou na veia e não sai, acrescenta demais pra todos estilos de tattoo!

 

T. Angel: Quais os artistas que já passearam por sua pele?
Moreno Simões: Na minha pele coleciono trabalhos do mestre Mauro Nunes, Chambinho (tattoo maniax), Nareba, Renata Gianoni, Nonho Tattoo, Pena, Diego Nunes e também do meu amigo e companheiro de estudos Monkey tattoo, artista que revolucionou o cenário da tattoo com técnicas pra lá de avançadas!

 1061038_690718110954959_1848797019_n

T. Angel: Qual a parte mais prazerosa da profissão?
Moreno Simões: Primeiramente a entrega da pele de um ser humano em suas mãos para a realização de um procedimento tão cauteloso e de grande responsabilidade. Após isso vem a satisfação de estar trabalhando com uma coisa que faço a vida toda com muitoooooo prazer, que é desenhar e poder provar para as demais culturas pouco evoluídas e preconceituosas o quanto se pode fazer isso bem e com higiene. Também viver dessa arte, outra hora desacreditada por tantos.
Tenho imenso prazer em acordar todos os dias e saber que sou um tatuador!

T. Angel: Existe algum ponto negativo em ser um tatuador profissional?
Moreno Simões: Ao meu ver não há ponto nenhum negativo, a não ser a não regulamentação da profissão. Mais estou acostumado a andar na contra mão do maldito sistema.

T. Angel: Fale um pouco mais sobre suas influências?
Moreno Simões: Minha veia artística herdei dos meus pais que desde sempre viveram de arte em geral. Já desenvolveram as mais variadas formas artísticas com tinta e eu inovei a caminhada da família com essa expressão maior de arte que conheci e que mexeu comigo desde o primeiro contato. Logo aos 11 anos vendo minha mãe sendo tatuada.
Em seguida veio a escola, onde me destacava pelas capas de trabalho e pelos esboços feitos nas próprias carteiras da escola com grafite. rs
Depois em seguida veio a adolescência e a cobrança de uma procura de trabalho pelos pais e disse a eles o que gostaria de fazer da vida. Meu pai prontamente me atendeu dizendo: não vou te dar a grana pra comprar as coisas, mas darei o trabalho pra que você ganhe seu dinheiro e compre o que quer e precisa, pra que de valor futuramente. Lição muito aproveitada por sinal. rs
Tudo foi caminhando, entrando de cabeça no universo dos desenhos diabólicos, como eu disse, influenciado pelas capas de discos e pelas tattoos dos componentes das bandas que eu curtia e por aí vai. rs
São 16 anos de história, me perco um pouco nessa jornada. rs
Sei que estou de caso de amor com as cores hoje em dia e não consigo me imaginar sem elas. rs

 

T. Angel: Quais as principais características que um bom tatuador deve ter?
Moreno Simões: Na minha opinião inclinações pra arte desde sempre e interesse em buscar mais e mais conhecimento sempre.
Penso que o artista carrega consigo um interesse pelo desconhecido e luta pra atravessar as barreiras do que não se sabe e o que não se consegue explicar do seu universo artístico. Na grande maioria dos casos não é o que vemos. rs
Resumindo em poucas palavras: é preciso estudar arte sem limite e sem esquecer que já que se trata de arte na pele não basta só estudar papel, lápis de cor, tipos de tinta e pincéis e esquecer de estudar o nosso “papel” de tatuar (pele), constituição celular, sentido correto de aplicação de tinta e outros milhões de fatores que somam para um resultado excelente de tattoo.

T. Angel: Qual sua visão sobre o cenário da tatuagem no Brasil?
Moreno Simões: Um cenário que só cresce ano a ano e a prova disso é o destaque dos nossos artistas em outros países. Isso sem falar que nossos trabalhos não perdem nada pra os gringos, apesar da superioridade material que eles tem lá fora. Mas mesmo com tudo, isso ainda conseguimos driblar as dificuldades e executar trabalhos tão bons ou até melhores que os artistas internacionais, regados a material de primeira e apoio cultural do governo.

 

T. Angel: Você tem trabalhado também ministrando workshops. Qual a importância disso em sua opinião para o meio da tatuagem?
Moreno Simões: Acho muito importante o trabalho que alguns artistas vem fazendo, passando à frente seus conhecimentos e técnicas adquiridas para os menos favorecidos de conhecimento, tornando o cenário da tattoo cada vez mais evoluído com oportunidades de conhecimento pra todos!
Ao contrário do que passei na minha carreira onde os tatuadores mais antigos achavam os caminhos da melhora e te indicavam outro completamente diferente pra te por pra baixo, estou aqui deixando minha marca na evolução da arte que tanto amo,  com meu sincero e verdadeiro estudo. Passei por esse plano não pra ser mais um e sim deixar minha força ao meio que quero ver crescer cada vez mais!

T. Angel: Quais as dificuldades que você encontrou ao longo de sua carreira?
Moreno Simões: Fora essas dificuldade citadas acima onde digo que quem sabia não ensinava o caminho certo, tinha a falta de materiais de qualidade e a falta de referencias de arte. Isso antes da fase da internet onde todos puderam ver e achar referenciais pra desenvolver suas obras. Muita coisa mudou viu. rs
Feliz em ver o rumo da tattoo atual, hoje está fácil aprender e ter bons materiais. Só falta a sede de busca que cabe a cada um!

T. Angel: Quais estúdios você já trabalhou em SP?
Moreno Simões: Trabalhei a grande maioria do tempo de profissão em minhas próprias lojas, mas passei por alguns estúdios onde só vou citar quem merece. rs Foram as seguintes: Baca Tattoo Studio,Tattoo Art Show, Skin Tattoo (RJ),Tribo do Piercing (RJ), entre outros. rs.

 

T. Angel: Agora você trabalha apenas em sua loja¿ Como as pessoas que quiserem tatuar com você podem fazer?
Moreno Simões: Atualmente atendo somente no meu estúdio, o “Simões Tattoo Family”. Espaço esse fundado pra servir apreciadores de boa arte e trabalhos exclusivos para seu corpo. Agendamentos pelo tel efone (11) 2737.4988. Disponham!

T. Angel: Já existem projetos futuros?
Moreno Simões: Existem sim! Dentro de pouco tempo estarei fazendo uma Tour mundial onde realizarei Workshops e atenderei clientes em outros países, além do Brasil.

Tambem sai esse mês de Julho o meu set de cores exclusivas pra New school em parceria com a Electric Ink, para fortalecer meus alunos que buscam fazer trabalhos com minhas cores, já consagradas e marcadas com minhas características de arte.

T. Angel: Qual o seu recado para quem pretende ser um tatuador?
Moreno Simões: Meu recado diz pra preparar a base artística buscando conhecimentos de desenho, artes em geral e conhecimento sobre pele, pigmentos , equipamentos e etc.

CONTATOS
www.morenosimoes.com
Facebook – https://www.facebook.com/MorenoSimoes

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

1 thought on “Das sombras para as cores: entrevista exclusiva com o tatuador Moreno Simões

Deixe uma resposta