LaBaq: canção, modificação corporal e desejo de que as coisas sejam mais leves no mundo

0 Flares 0 Flares ×
Foto: Rafa Mendes
 

O segundo trailer de Sauntering – que viralizou no Facebook – é embalado pela belíssima ‘Quiçá”, canção de LaBaq. Para quem não sabe, a história da artista com as modificações corporais não começou agora, inclusive ela já falou sobre isso em seu canal no Youtube e nós pretendemos falar um pouco disso aqui também. Com essa matéria convidamos vocês para que conheçam um pouco mais da artista e de sua obra. Veja abaixo o nosso bate-papo!

FRRRKguys: Conte para gente um pouco da sua relação com as modificações corporais? Como tudo começou?
LaBaq: Eu tinha uns 14 anos quando comecei a trabalhar em um estúdio de tatuagem no interior de São Paulo e me aproximar das body mods. A adolescência foi o momento de maior curiosidade e descobertas desse mundo, tanto as musicais quanto as de vida e o mundo das modificações corporais veio também a ser meu mundo naquele momento, tive muito contato com body suspension e em seguida vim a mudar de cidade, isso me afastou um pouquinho de tudo e me aproximou da música, caminho que sigo hoje profissionalmente.
 
FRRRKguys: Quais modificações corporais você tem hoje?
LaBaq: Hoje, uma scar, 13 tatuagens e 3 piercings.
 
FRRRKguys: Sua música Quiçá está presente no último trailer de Sauntering. Fale um pouco das histórias que rondam essa linda canção?
LaBaq: Quiçá foi a primeira canção que eu compus totalmente em prantos. Eu sou bem emotiva e isso fica transparente no que eu coloco as mãos como criadora, eu só consigo fazer se for sincero, sabe? Um dia assisti ao “Cidade dos Anjos” e ao fim, emocionada, escrevi “A gente devia parar todo dia e ver o por do sol”, como os anjos fazem no filme. Minutos depois peguei a guitarra e nasceu ela, que pra mim é um desejo mesmo de que as coisas fossem mais leves pro mundo todo, de que houvesse mais amor por aí.
 
 
 
FRRRKguys: Como foi para você ver, ouvir e sentir sua música no trailer?
LaBaq: Emoção, emoção infinita! Ver gente tão querida falando de pontos de vista nos quais eu acredito infinitamente, só me deixou mais e mais feliz. É com gente como vocês, é com iniciativas como esta que eu me sinto realmente fazendo algo que pode mudar alguma coisa e tô bem feliz por ter chegado onde chegou, não por mim e por minha música estar ali, mas por acreditar que precisamos falar sobre isso.FRRRKguys: Sobre a importância de se falar e defender a diversidade, o que você pode nos dizer?
LaBaq: É nossa tarefa, como artistas, como seres que refletem o mundo e possuem alguém olhando pro que produzimos, falar sobre diversidade, sobre amor, sobre respeito. Eu sinto demais a responsa de ter cada dia mais pessoas me escutando, isso é enorme pra mim e quero falar do que precisamos falar pro mundo. Ao mesmo tempo que é triste termos que parar pra falar sobre diversidade vivendo no séc. XXI, é um suspiro de esperança saber que não estamos – e jamais estaremos – sozinhos nesse caminho.


 
E aqui apresentaremos o trabalho da compositora, cantora e produtora brasileira LaBaq. Lançou seu primeiro disco em abril de 2016 e vem tendo um alcance cada vez maior, sendo uma primeira obra autoral totalmente composta pela artista e imprimindo sua peculiar identidade na cena da música indie brasileira, vale dizer que estamos com mais de 120k plays no single do disco no Spotify e mais de 10k ouvintes mensais, grande alcance para um primeiro disco da promissora artista, que recém chega de sua mais recente tour pela Europa. Nos links abaixo pode conferir um pouco de seu trabalho: 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

About T. Angel

No cenário da modificação corporal brasileiro desde 1997, inicialmente como entusiasta e posteriormente atuando no campo da pesquisa. Parte de seu trabalho está incluso no livro "A Modificação Corporal no Brasil - 1980-1990" e grande parte depositada aqui no FRRRKguys.com.br.