Ação coletiva busca colaborar para continuidade da Diáspora Tattoo e você pode ajudar

0 Flares 0 Flares ×

No dia 22 de Julho a tatuadora Ka Libre anunciou pelas redes sociais, com muito pesar, que a Diáspora Tattoo iria encerrar os atendimentos em Brasília, Distrito Federal.

“A Diáspora Tattoo foi um espaço de força, muita troca de vivência, de muita arte preta executada, mas também um espaço de luta”, explicou a tatuadora em seu texto. E seguiu dizendo:

“Enquanto inserção da arte preta no universo da tatuagem, enfrentamos muitas dificuldades em mantê la de pé. Enfrentamos muitas tentativas de boicote ao nosso trabalho, a falta de apoio, de abertura, de parcerias de outrxs tatuadores, etc.. chegamos ao fim.”

O racismo estrutural que existe no Brasil, como não poderia deixar de ser, afeta também o meio da tatuagem, que tem um histórico em que a branquitude construiu uma única narrativa, que vamos chamar aqui da “tela branca”. Chamamos de narrativa da tela branca porque uma das manifestações do racismo no meio da tatuagem foi o apagamento dos corpos não brancos nos portfólios dos profissionais, nos estúdios, revistas da área e a busca, incessante, de telas brancas (peles brancas, corpos brancos) nas convenções de tatuagem. Ainda que hoje a tatuagem tenha sido assimilada pela cultura dominante e seja socialmente mais aceita, comparando com anos atrás, trabalhos que escapam da narrativa dominante enfrentam maiores dificuldades para existir e se manter. A fala de Ka Libre sublinha essa dificuldade. A tatuadora, expõe em sua mensagem que:

“Desde 2017 sorrimos, mas também choramos muito. Eu e Rasta enfrentamos muitas dificuldades, até passamos fome, pra manter esse sonho de pé, pra continuar atendendo pessoas pretas e suas diversidades, na qual, se sentissem inseridas, a vontade e representadas nesse lugar. Afinal somos a Diáspora Africana/Brasileira. Mas também através desse espaço podemos nos proporcionar viagens pra troca de experiências com outrxs tatuadorxs outras vivências, aprendizados.”

Abrir esses espaços tão importantes e fundamentais no meio da tatuagem, dentro de uma estrutural racista como temos no Brasil e, sobretudo, no Brasil bolsonarista, não é tarefa fácil. E ainda que se faça muito, o reconhecimento e suporte são pequenos, pontuais e que se esgotam em uma alta velocidade. E sobre isso Ka Libre também pontuou ao dizer:

“Estivemos em convenções, demos palestras sobre a pele negra… Aprendi muito, amadureci muito, me desenvolvi muito na minha arte e me reafirmei cotidianamente, de forma determinante sobre quem eu sou no orun, e o que eu represento neste lugar. Infelizmente durante algum tempo, acumulamos dívidas e virou uma bola de neve. Dia estávamos no auge, dias estávamos no esquecimento. E essa oscilação extrema resultou em acúmulos. Não por falta de administração, mas por falta de reconhecimento mesmo nessa Brasília. Desde que eu e Wellingtontattoo nos unimos, foi em prol da tatuagem, pra construir um espaço onde não seríamos oprimidos, e pudéssemos fornecer possibilidades pra pele negra.”

Importante que a gente sublinhe que a dívida acumulada, nas palavras da própria Ka Libre, se deram não por falta de administração e sim de reconhecimento. Sublinhar para que o foco central do problema não seja desviado.

Envergonhada e muito entristecida, Ka Libre dizia que a dívida tinha chegado em 20 mil reais. Deixava com as palavras – que narram uma luta – imagens do espaço, para caso alguém tivesse interesse em comprar.

Fãs, amigas e amigos da Diáspora Tattoo lamentaram na publicação e por via dele sugeriram a criação de uma vaquinha virtual para que a dívida fosse quitada e o espaço pudesse seguir existindo. Ka Libre dizia que iria tentar manter o espaço até a última chance. E agora esse é o momento. Deixamos abaixo o link da vaquinha para que vocês possam fazer doações de qualquer quantia que seja, inclusive, deixamos aqui o pedido para que os grandes empresários do meio da tatuagem se mobilizem para que a Diáspora Tattoo siga existindo e possa ser trampolim para que mais pessoas nessas ocupem a área e que a discussão sobre a tatuagem em pele negra igualmente avance.

FAÇA SUA DOAÇÃO
https://www.vakinha.com.br/vaquinha/649580

Caso não possa fazer doação em dinheiro, compartilhe essa matéria para que mais pessoas alcançar mais pessoas e com isso obtermos mais colaborações. Contamos com vocês. Toda força e apoio ao Diáspora Tattoo!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

About FRRRK Guys

Plataforma criada em 2006 que vive, investiga e fomenta a cultura da modificação corporal e diferentes usos do corpo.