Desvendando a meatotomia

0 Flares 0 Flares ×

Fotos: Nine Fingers

Como é sabido somos um website que aborda a questão da beleza masculina oriunda das práticas das modificações corporais e curiosamente nunca fizemos um artigo exclusivamente sobre modificações genitais masculinas. A verdade é que já faz um tempo, pra ser sincero anos, que queremos escrever sobre esse tema, mas acabou não acontecendo.

Como tudo tem o seu momento certo pra ser, é chegada a hora de desbravarmos esse tão peculiar mundo das modificações genitais: piercings, beadings ou pearling, tatuagens, meatotomia, bifurcação da glande, transcrotal e etc. Há sem dúvida muito o que se falar.

Para começar essa jornada com força total, abordaremos nesse artigo a meatotomia. Contamos com a entrevista do brasileiro Nine Fingers, que gentilmente cedeu o seu tempo, conhecimento e compartilha aqui as suas experiências conosco. O texto introdutório sobre a modificação em questão, também é assinado por Nine, reconhecendo assim a validade de suas pesquisas e vivências.
Cabe informar que algumas imagens aqui utilizadas para ilustrar o artigo, estão em baixa qualidade por conta de serem antigas.

Afim de evitar insinuações levianas acerca do texto aqui produzido, informamos que objetivo deste é meramente educativo.

T. Angel: O que é a meatotomia?
Nine: Meatotomia é uma forma de modificação genital masculina  em que a parte inferior da glande é dividida ou no caso de ocorrência natural, uma hipospadia. Também podendo ocorrer quando um P.A. é arrancado acidentalmente, mas geralmente é feito voluntariamente, com um procedimento de clamp and cut ( pinça e tesoura)  a fim de abrir a uretra , muitas vezes para Sounding.
Os procedimentos de meatotomia nao tendem a ter excesso de sangramento e a infecção tem um risco menor. Meatotomia geralmente cicatriza em uma semana e tende a ser mais fácil de cicatrizar do que  piercings.
A meatotomia terá efeito para o sexo com penetração à partir de que ela se abre durante a penetraçao e “expõe” as terminações nervosas presentes no interior da glande, elevando os sentidos e prazeres da pessoa meatotomizada. Anatomicamente, a uretra se estreita imediatamente atrás da glande, portanto este procedimento pode melhorar muito o acesso para a uretra para aqueles que gostam de estimulaçao uretral e sounding.
Meatotomia pode dificultar a capacidade para controlar a direção e a forma de um fluxo de urina. Isso pode resultar em urinar confuso (2-3 jatos ao mesmo tempo) e exigir que o indivíduo metatomizado sente-se ao urinar, no entanto, isso não é uma verdade universal. A maior abertura da uretra pode também reduzir a velocidade  de ejaculação, reduzindo assim a distância de ejaculação.

T. Angel: Conte-nos sobre o procedimento?
Nine: Uma variedade de técnicas podem ser utilizadas para se fazer o corte, mas o que geralmente se usa é o metodo clamp and cut (pinça e corta) usando-se uma pinça Kelly hemostática no local desejado para o meatotomia  durante 15 a 45 minutos, e depois corta-se como auxilio de uma tesoura de ponta fina. Outras técnicas incluem a cauterização , o corte com um bisturi (por vezes auxiliada por pinças).Dependendo da anatomia do indivíduo e a extensão do desdobramento, a meatotomia com bisturi pode envolver hemorragia intensa, ao passo que os métodos de”clamp and cut”  e cauterização são relativamente livres de sangue. Independentemente do procedimento utilizado, meatotomia, como outras modificações genitais e piercings genitais , curam rapidamente. Ao contrário de outras modificações genitais, o tecido da glande não têm a tendência de re-aderir a si próprio ou curar fechado.
A meatotomia pode ser estendida  a subincisão ou bissecção genital, que são ambos modificações muito mais complexas e graves.
Reverter uma meatotomia pode ser doloroso e difícil, e é semelhante à reparação de hipospádia.

T. Angel: Quando você decidiu fazer sua meatotomia?
Nine:  Foi em 2004 que apresentei maior interesse nessa mod e a realizei em 2005. Após ter conhecido o sounding em 2002, ter feito meu P.A., e conversado muito com pessoas que já tinham meatotomia e subincisões que meu interesse cresceu e pude realizar o procedimento com a ajuda de um profissional.

T. Angel: Já tinha feito alguma outra modificação genital?
Nine: Sim, inicialmente tive um P.A. de 2,2mm (alargado pra 3.2mm posteriormente), um lorum 2mm e pearling ou beadings (3 esferas de PTFE 6mm), que foi bem tranquilo também. Pesquisei bastante e em 2004 encontrei no BMEZINE.COM o trabalho de um espanhol que me chamou bastante a atenção, porque diferentemente de outros que já tinha visto (agulha transversal ao pênis, tendo que suturar a entrada e saída da agulha por beading realizado), esse era bem interessante: agulha americana 5mm (alargado pra 6mm) no sentido do membro, com apenas 2 lugares a suturar e independente do número de beadings. Conversei com esse profissional e repassei a minha piercer, e foi bem tranqüilo o procedimento e a cicatrização.

T. Angel: Sua body piercer que fez o procedimento. Você sabe se ela já tinha feito outros?
Nine:
Eu aprendi muito com ela e confio muito em sua capacidade e profissionalismo. Sobre o procedimento de meatotomia, ela realizou o meu duas vezes, porque eu queria um corte pequeno no início, mas ao passar do tempo senti que seria melhor e mais feliz se eu pudesse aumentar um pouco mais a modificação. Atualmente eu estou bem feliz com esse resultado.
Meatotomia não se tem muita procura em estúdios, creio eu, e tem também grande parte de adeptos realizando o procedimento em si mesmos.

T. Angel: Conte um pouco sobre o processo do procedimento?
Nine: O procedimento foi realizado no processo “Clamp and Cut”. Fui ao estúdio, pois sabia que teria um ambiente esterilizado e uma profissional para qualquer situação,  usei emla alguns minutos antes, uma pinça no lugar que queria o corte e uma pequena tesoura. Foi tranquilo, usei a pequena pinça por uns 45 minutos e durante o corte. Foi rápido e indolor, isento de sangue, sem necessidade de suturas e nem nada. Me surpreendi ao ver o pequeno pedaço de tecido que se corta numa mod como essa, pois sempre imaginava ter que cortar a glande… Mas é só a parte de baixo da uretra  e a pele. Corte preciso, indolor e sem sangue.
A cicatrização foi tranquila e após alguns anos repeti o processo pra aumentar a mod.

T. Angel: Qual a sensação do pós? Existe um prazo aconselhável para não se fazer sexo?
Nine:
A dor não é tanta na cicatrização pois o tecido que se corta é bem pouco na real. Mantive uma gaze no meio nos primeiros dias, mas logo não houve mais a necessidade.
O prazo aconselhável para o sexo eu já esqueci. Na primeira vez do procedimento fiquei sem por meses, mas na segunda vez pratiquei sexo no dia seguinte do procedimento ( não indico!!!) e tive um desconforto com dor. Mas, se puderem esperar sua mod cicatrizar por completo, com certeza será o mais indicado e o melhor a fazer.

 

T. Angel:Você saberia nos dizer os principais riscos do procedimento?
Nine: Não sou o mais indicado pra isso, mas falando em meatotomia, o que tenho acompanhado em sua maioria são procedimentos DIY (do it yourself), e feitos em casa. Muitas vezes não se tem todo o aparato esterilizado, bancadas e instrumentos corretos para o procedimento, por isso recorri a uma profissional que confio para realizar o procedimento com segurança e higiene.

T. Angel: Conhece outros brasileiros que tenham a modificação?
Nine: Na época que fiz (2005) estava  mais por dentro das comunidades e tals, conversava com um amigo do RJ que tinha uma subincisão e creio que mais uns três.
Atualmente não tenho ideia de quantos tem essa mod, mas sempre que me é perguntado, indico a meatotomia à beadings e piercings.

T. Angel: O que te motivou a fazer a meato?
Nine:
Sempre tive interesse por modificações, lia bastante e frequentava fóruns de discusões sobre várias modificações e em sua maioria genitais. Nestes fóruns sempre eu era o mais novo a discutir os assuntos e compartilhar interesse. Isso me ajudou muito, ouvindo relatos, assistindo vídeos caseiros no melhor estilo DIY (faça você mesmo).
Comecei com manipulação em 2002, o sounding, e ganhei um conjunto de sondas (3 a 6 mm) de uma amiga estadunidense em 2003, vinda pelo correio… Isso me ajudou muito, não tendo mais que usar outros matérias (pincéis em sua maioria).
No sounding descobri uma sensação muito boa, pois o uretra dava um “pega”, me excitava com aquilo. Até que descobri que na meatotomia, por se “expor” terminações nervosas da glande, essa sensação que sentira antes seria potencializada por possíveis manipulações externas (mão, boca, língua). Comecei a pesquisar e trocar idéias com amigos virtuais sobre o procedimento, cicatrização e as sensações possíveis após o procedimento. Depois dessa pesquisa, vi que o procedimento, mesmo que DIY, seria tranqüilo e conversei com minha body piercer para realizarmos isso em alguns dias.

T. Angel: Para você o que mudou no sexo? Você percebeu diferença com suas parceiras ou teve algum tipo de feedback delas?
Nine: Diretamente sobre a meatotomia é tranqüilo, não se nota muito a mod, a não ser que se queira… Explico a elas e veem que podem causar em mim com isso, já que o sexo oral fica potencializado, pois agora tem as terminações nervosas “expostas” e que respondem muito bem a qualquer manipulação, podendo  brincar com isso.
Uma vez, aproveitei a meatotomia e a passei pelo clitóris com pequenos movimentos circulares e isso foi incrível. Entramos numa sintonia e foi maravilhoso, e ai ela sentiu orgasmos e squirt em mim e foi inacreditável. Adorou, adorei, foi intenso e novidade para ambos, sem penetração! Somente a manipulação da meatotomia no clitóris… Depois mais algumas vezes, repeti esse tipo de “brincadeira” e o resultado do squirt se repetiu 90% das vezes… Não posso afirmar com certeza que somente a meatotomia foi responsável por isso, mas com certeza, por poder “abraçar” todo o clitóris ela teve um papel muito importante nestas deliciosas experiências.
Quanto as outras mods, os beadings  são bacanas, mas após horas eles doem pelo atrito no membro e também algumas vezes causaram algum pequeno desconforto nas garotas ( elas por cima).

 

T. Angel:Pretende fazer alguma outro modificação genital?
Nine: Sempre tive interesse, já pensei antes em varias coisas, desde head split, subincisão  até  transcrotal de ½, mas atualmente tenho me sentido realizado com as mods que possuo.
Resumindo: sounding, meatotomy, subincision e bisection. Isso sempre me pareceu uma “evolução natural “ de mods genitais, sempre entendi e vi dessa forma, mas particularmente creio que ficarei na meatotomia por enquanto.
Quem sabe num futuro próximo eu realize uma subincisão e head split.

NINE.
9ninefingers@gmail.com

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

About T. Angel

No cenário da modificação corporal brasileiro desde 1997, inicialmente como entusiasta e posteriormente atuando no campo da pesquisa. Parte de seu trabalho está incluso no livro "A Modificação Corporal no Brasil - 1980-1990" e grande parte depositada aqui no FRRRKguys.com.br.