A comunidade da modificação do corpo se despede do Homem Leopardo

0 Flares 0 Flares ×
LEOPARD-MAN-OF-SKYE-SCOTLAND
(Foto: reprodução/ Rex / Mirror)
“Nunca incomodei ninguém quando vivia no barraco da ilha e eles também não me incomodavam. Na real, eu nem sou tão interessado assim a respeito das coisas que rolam pelo mundo afora”.
Thomas Woolridge
Faleceu no domingo (12), Thomas Woolridge, 81 anos, considerado um dos homens mais tatuados do mundo. Com informações do Daily Record e Mirror e que se espalhou por toda imprensa nacional e internacional. As notícias, de modo geral, respeitando sua memória, o que não é algo muito comum mesmo quando se trata da morte de uma pessoa relacionada com as modificações corporais, não nos esqueçamos de Felipe Klein.
Nascido na Inglaterra, Thomas ficou mundialmente conhecido como o Homem Leopardo, chegando a gastar o equivalente a R$ 30 mil em tatuagens. Seu corpo era inteiramente recoberto por manchas no padrão das pintas de um leopardo e, na maior parte das fotos publicadas, ele é retratado usando praticamente nenhuma roupa. Ele foi um ex-soldado inglês e também reconhecido pelo Guinness Book como o idoso mais tatuado do mundo. Dizia que não tinha se arrependido em momento nenhum de ter usado as suas tatuagens para ganhar dinheiro, dizia também que só se encontrou mesmo nestes últimos 20 anos em que viveu em isolamento total.
Por cerca de 20 anos, ele viveu em um barracão na Ilha de Skye, na costa da Escócia, sem eletricidade e água encanada. O Homem Leopardo só ia ao continente buscar mantimentos, segundo as notícias que consultamos. Para isso, ele ia sozinho remando em seu caiaque e voltava com o que precisava. Por mais que muita gente usasse a explicação mais simples sobre suas motivações de modificar o seu corpo com o “ele só quer aparecer” ou “só quer chamar atenção“, como usualmente acontece em casos similares de modificação do corpo, Thomas demonstrava querer justamente o contrário disso. Viveu sua vida de modo recluso, solitário e quieto, contradizendo todos os ditames do senso comum. O que nos parece ele estava interessado em construir uma experiência própria e particular de existência e assim o fez.
Depois que mudou para o continente, Woolridge – que usava o nome artístico de Tom Leppard — continuou discreto como sempre foi. Em uma das suas últimas entrevistas, ele falou justamente sobre isso, dizendo que “minha vida nem mudou muito“.
Poucos anos antes de falecer, Thomas Woolridge passou a morar em uma casa de repouso em Inverness, na Escócia. Allen Falkner lamentou a morte em seu Facebook, dizendo:

“Triste notícias, eu tive o prazer de conhece-lo muitos anos atrás enquanto trabalhava com o Guinness Book dos recordes mundiais. Ele era do tipo quieto e um pouco estranho, mas muito agradável. Descanse em paz, Leopard Man.” 

Deixamos aqui os nossos sentimentos e um agradecimento pela inspiração que Thomas Woolridge nos trouxe durante esses anos todos.
REFERÊNCIAS
World-famous ‘Leopard Man’ who covered his body in spotty tattoos has died, aged 81
http://www.mirror.co.uk/news/uk-news/world-famous-leopard-man-who-8193316
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

Deixe uma resposta