Através de corpos tatuados nus, projeto de fotografia relata situações e preconceitos que a tatuagem enfrenta no século XXI

0 Flares 0 Flares ×

Foto: Isabela Catão / Divulgação

tumblr_o10t5xQ3jB1v4xundo1_1280

“O preconceito de pessoas que não me conhecem, não me incomoda. Ruim é quando a pessoa te conhece desde que você nasceu e questiona seu gosto, modo de viver por ser tatuado.”
Alexandra, 28. Bartender e ilustradora. 5 tatuagens.

Movida pela questão do “por que em pleno 2016 tatuagem ainda é um tabu?“, a fotógrafa carioca, Isabela Catão, concebeu o delicado Projeto liberte-se. Em cada retrato feito por ela, um relato de situações/preconceitos que as pessoas tatuadas já passaram por conta das marcas corporais.

tumblr_o1fkhm8rNZ1v4xundo1_1280

12592717_178925432464956_774773232680765890_nLeo, 31. Produtor musical. 50 tatuagens.

“Já passei por inúmeras situações constrangedoras por causa das minhas tatuagens, mas uma das que mais me marcou foi quando eu entrei em um mercado que tinha na rua em que eu morava e o segurança veio andando atrás de mim. Fui perguntar o porque daquilo e ele falou: Você é todo tatuado né, você entende?.”

Ainda que seja um projeto bastante novo, Isabela Catão foi questionada do “por que apenas brancos e magros?” aparecerem em seu projeto. Que ótimo que esse questionamento apareça é importante deveras e nos aponta que as pessoas não querem mais ver e ouvir apenas sobre um único determinado tipo de corpo. Sobre isto, a fotógrafa em sua fanpage do Facebook explicou o motivo, em suas próprias palavras:

É extremamente difícil achar pessoas dispostas a posar nuas, por medo do que outros vão achar. O projeto é voltado para TODO tipo de gente (brancos, negros, deficientes, LGTB, etc), mas no momento consegui apenas voluntários com o perfil das pessoas registradas aqui. O projeto tem 2 semanas de vida, há muitas pessoas com diversos perfis para fotografar ainda”. 

A dificuldade que a Isabela colocou em sua justificativa, isto é, de conseguir pessoas dispostas a posarem nuas é realmente um dado significante e que sentimos por aqui também. Queremos muito uma diversidade de corpos, queremos muito destruir todos os padrões, normas e regras estéticas, mas não podemos forçar ou obrigar que as pessoas participem de projetos que elas não acreditem ou não se sentem confortáveis em estar.  É uma linha bem tênue e temos que ter cautela para que o nosso desejo de transformação social, não se torne invasivo, abusivo e violento.

tumblr_o1m5sktjJI1v4xundo1_1280Tatiana, 32. Administradora. 12 tatuagens.

“Muitos me dizem que tenho o rosto muito delicado pra ter tanta tatuagem.”

Além do tabu com a nudez e de todas as questões que rondam os assuntos do corpo, temos a tatuagem. Embora saibamos que o preconceito contra essa prática é menor hoje do que décadas atrás, ele ainda tem força suficiente para gerar violência e exclusão social. Em nosso entendimento o projeto de Isabela Catão é justamente sobre isso, isto é, libertar-se dessa ignorância que nos assola como espécie.

Que o Projeto Liberte-se colabore e ajude nos processos de empoderamento das pessoas. Que através da poética deste trabalho as pessoas possam criar uma melhor relação com seus corpos. Talvez não para estarem nuas em um projeto de fotografia, mas oxalá para estarem nuas, satisfeitas com seus corpos e desfrutando da vida. Liberta-te.

tumblr_o0w8qfIwNM1v4xundo1_1280Ana, 26. Fotógrafa e Psicóloga. 12 tatuagens.

“Sempre pensei em lugares discretos para fazer as tatuagens, com medo de ser desvalorizada como terapeuta. Costumava ouvir muito isso..e quase acreditei.”

Se você for de São Paulo ou Rio de Janeiro e quiser participar do projeto é só enviar uma mensagem privada na fanpage. As portas estão abertas, participem!

CONTATOS
http://projetolibertese.tumblr.com/

https://www.facebook.com/meuprojetolibertese

 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

About T. Angel

No cenário da modificação corporal brasileiro desde 1997, inicialmente como entusiasta e posteriormente atuando no campo da pesquisa. Parte de seu trabalho está incluso no livro "A Modificação Corporal no Brasil - 1980-1990" e grande parte depositada aqui no FRRRKguys.com.br.