Minha língua, meu corpo, minha decisão: Programa do Jô e o velho preconceito com as práticas de se alterar o corpo

0 Flares 0 Flares ×

Foto: reprodução TV Globo/Programa do Jô

helio-gomes-da-silva

O Programa do Jô da última quarta-feira entrevistou o Dr. Helio Gomes da Silva, que é cirurgião dentista, mestre e doutor em odontologia, ortodontia e ortopedia. Especializado em cirurgia funcional dos maxilares, o doutor falou sobre a importância da língua em nossas vidas, mas ao que nos parece esqueceu de ponderar a sua própria, não economizando preconceito e desconhecimento acerca das modificações corporais.

Durante a entrevista pessoas da plateia faziam questões e esclareciam dúvidas. Eis que nesse momento se levanta uma pessoa pedindo a palavra, buscando esclarecer a sua curiosidade sobre a bifurcação da língua. Tudo já começa errado, quando a moça – esbanjando senso comum – pergunta se “aquelas pessoas, normalmente são rockeiros, que cortam a língua até a metade” (sic) poderia ter algum tipo de risco na saúde.

Aparentemente o doutor não entendeu ou não conhecia mesmo sobre a técnica e começa a sua resposta falando sobre o body piercing. Pasme, mesmo se tratando do piercing tradicional e já assimilado pela cultura de massa, o doutor com seus inúmeros títulos não poupou palavras para explicar algo que desconhece com base em seu preconceito sobre a prática. Sua resposta foi:

 

“Olha, com certeza essa é uma das maiores aberrações que a gente vê, mutilações, as pessoas perfurarem a língua. Eu já vi vários casos de piercing, eu fico assustado, às vezes os pacientes colocam, está comum isso hoje. É uma auto agressão, só que o nosso cérebro consegue ainda se acostumar, só que paga um preço alto por isso.“

Para ver o programa CLIQUE AQUI. (A partir dos 26 minutos a fala sobre o split)

O entrevistador, Jô Soares, faz uma piada e tenta corrigir a situação falando sobre a bifurcação da língua. Nesse momento a moça que havia colocado a questão reafirma sua dúvida somada de uma cara de nojo. O real circo de horrores continua com seu espetáculo e o doutor completa dizendo que “isso é uma auto agressão, Jô. Uma agressão sem perdão”. Não satisfeito e novamente demonstrando sua falta de conhecimento sobre a história da prática da bifurcação da língua, o doutor fecha com seu comentário estritamente pessoal, afirmando que “a longo prazo esse individuo vai buscar uma cirurgia pra fechar a língua”.

Por mais que estudamos e pesquisamos determinado assunto, que seja uma parte específica do corpo humano, muitas vezes não conseguimos dominar o objeto de estudo por completo. Nesses casos, a postura mais digna do pesquisador é dizer que não tem informações suficientes e que se propõe a investigar sobre. Aprendemos isso no primário.

O doutor Hélio não respondeu a pergunta da jovem moça, não respondeu efetivamente se a língua bipartida oferece algum risco para saúde. Seria interessante ouvir essa informação , no caráter de um pesquisador, que suponho que seja sério da área da medicina. Mas não, pelo contrário ele apenas colocou para fora o vazio do preconceito e desconhecimento.Diga-se de passagem já temos o suficiente.

Uma das maiores aberrações, em nossa humilde opinião desprovida de títulos acadêmicos e condecorações sociais burguesas, é o quanto utilizamos a nossa língua de uma maneira ruim, algo tão comum no nosso tempo (e não só nele). O quanto falamos sobre coisas que não conhecemos, apenas para falar mais do mesmo, para não assumir que não dominamos todos os saberes. Ficamos assustados de ver médicos tão estudados reproduzindo o senso comum sem dó e nem piedade, não pelo outro, mas de si próprio. Ah! E com esse tipo de coisas o nosso cérebro não se acostuma, ainda bem. Temos uma séria intolerância ao senso comum, nosso corpo rejeita.

Talvez – quem sabe, um dia – paguemos um preço alto por perfurarmos as nossas línguas, por cortá-las em duas partes, por tatuá-las. Mas antes pagar alto por isto do que por usá-la de maneira tão leviana em rede nacional como o doutor Hélio o fez.

Sinceramente Dr. Hélio, em nome das poucas pessoas da comunidade da modificação corporal que representamos, dispensamos a sua opinião, a sua autorização, a sua aprovação e o seu perdão. O seu e de toda e qualquer pessoa que pense como você.

Recentemente escrevemos sobre a bifurcação da língua AQUI. Para quem quiser saber sobre alguns riscos que o procedimento pode causar, recomendamos a leitura.
http://www.frrrkguys.com.br/tongue-splitting/

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

About T. Angel

No cenário da modificação corporal brasileiro desde 1997, inicialmente como entusiasta e posteriormente atuando no campo da pesquisa. Parte de seu trabalho está incluso no livro "A Modificação Corporal no Brasil - 1980-1990" e grande parte depositada aqui no FRRRKguys.com.br.