Sinceras homenagens para Shannon Larratt

0 Flares 0 Flares ×

Vincent Adducci

Em março de 2013 perdemos Shannon Larratt como anunciamos por aqui. Consideramos que esta tenha sido uma das perdas mais significantes na história da modificação corporal moderna. Para quem não o conhece, fica a sugestão de leitura da wikipédia e da wiki.bme, sendo esta segunda mais completa. Em todo caso ambas as fontes parecem pequenas quando comparamos com as grandiosas contribuições de Shannon. Não exageramos em afirmar o quão grandes foram suas inúmeras contribuições.

Pessoas do mundo inteiro encontraram formas bastante particulares e especiais de mostrar o amor em tributo ao criador do BMEzine. Tatuagens, brandings, cuttings, implantes, alargadores, pinturas e tantas outras formas de expressar respeito e gratidão ao Shannon Larratt. Muitas ações também surgiram para arrecadar fundos para Ari Larratt, filha de Shannon.
Por sorte com o Facebook podemos acompanhar essas tantas belas demonstrações.

526376_10151430665337909_513937225_nSamppa e Aneta Von Cyborg pintando a tela com sangue doado por inúmeras pessoas

483856_354821857967713_1037574585_nHomenagem durante o Congresso para perfuradores corporais da América Latina

Conversamos com dois brasileiros que marcaram a pele em tributo à Shannon. Por coincidência ambos são de Campinas, interior de São Paulo.

O primeiro que mencionaremos é Elielton, que tatuou a parte de trás da cabeça. Questionamos o que o levou a fazer a tatuagem, o que ela representa pra ele agora, a resposta compartilhamos abaixo:

“Foi uma forma carinhosa de dizer obrigado por tudo que ele fez. Eu já estava em luto por perder uma grande amiga (Regina), e de repente o Shannon se foi… Foi bem difícil, e ainda está sendo. O que ela representa para mim é sabedoria, pois é isso que eu aprendi com o Shannon, desde os tempos de IAM (BME), ele nos ensinou além das modificações corporais, foram bons anos de aprendizado e creio que está sendo. Esta mesma homenagem representa estes dois amigos.”

CAM00114

O segundo depoimento aqui compartilhado é do tatuador Luis Trash Marchioni, quem nos emocionou profundamente. A sensação é a de que choramos as mesmas lágrimas e partilhamos da mesma dor.

“Conheci o bme em 94 (?) quando era só uma página preta com caracteres em vermelho e fotos de modificações genitais extremas. Ganhei um computador em 98, imediatamente seguido de uma conexão, que me levou ao novo paraíso da internet…  O bme se tornou minha página principal, durante anos Shannon Larratt publicou diariamente todo tipo de modificação corporal imaginável ou não, desde atos em sacrifício a uma infância de tormentos, quanto a mutilações genitais por falta de desejo, passando por modificações não tão extremas, mas tão modificadoras quanto, como tatuagens, piercings, implantes, queimaduras, cortes, suspensões… Com a criação da ferramenta IAM, fiz amigos que se tornaram reais ou não, conheci inúmeras pessoas, e finalmente pude conhecer Shannon Larrat… Pessoalmente nos conhecemos em 2004 na convençaõ de tatuagens da Argentina. O bme já era para mim, como uma maioria no universo, e Shannon uma figura que não deveria ser tietada pois é assim que vejo a vida. Conversamos mais pelo IAM durante os 3 ou 4 dias que eles ficaram na argentina do que na convenção propriamente dita, mas foi uma experiência muito interessante conhecer o idealizador daquela comunidade que há tanto havia me recebido e abraçado. Minha primeira “matrícula” no iam beirava o número 200 e tenho um portfólio dentro do bme desde 99 (?).
Shannon ajudou a salvarmos um amigo e me fez ciente da morte de outro (e tantos outros, infelizmente, até a dele mesmo) estando em Toronto e eu no Brasil… Shannon me mostrou armas que só vejo em guerras e destruiçao sendo usadas como diversão por jovens saudáveis. Shannon me mostrou postais que mostravam Bagdá nos anos 70 e fotos de Bagdá em 2000 e pouco , dizendo: cuidado, isso pode acontecer em qualquer lugar…
Tem uma foto minha tatuando meu pai no BME Scrapbook. Shannon conversou comigo e eu com ele, diversas vezes… Eu considerava Shannon um amigo, talvez um amigo distante, um amigo virtual, não interessa. Shannon foi e vai ser sempre lembrado como um amigo. Sinto muito pela sua partida, não poderia imaginar que isso estaria tão próximo, mas é isso que a vida nos reserva, surpresas…
Fiz essa tattoo nos dedos com a imagem da tattoo facial de Shannon para celebrá-lo como a maior influência da modificação corporal pós-internet (achei como classificá-lo junto ao Fakir Musafar sem degradar qualquer um), porque com tattoo ou não Shannon está marcado em minha vida para sempre, o BME e tudo que ele criou influenciou uma geração ou duas ou três de modificados, por tudo que vivemos juntos, sabendo ou não o que acontecia a nós naquele momento.
Passei anos pensando no que tatuaria nos dedos para quando finalmente tatuá-los, tatuar nada, as imagens que adornavam a testa de um amigo que teve uma influência que ainda vai ser medida no mundo contemporeaneo, ou como disse o marido da tatuadora amiga (não BME, mas do coração) que me tatuou: “- Tatuou o que aí Trash, as linhas de Nazca???”
Stay calm, stay true, BME for life, Suscamp , BME army , IAMteam, IAMbrazilianteam, IAMCrushed, IAM Baked and life goes on…here IAM, rock you like a hurricane…”

trash-hand

Imagens de tributos ao redor do globo…

581865_10200206674343339_1498870256_n

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

About T. Angel

No cenário da modificação corporal brasileiro desde 1997, inicialmente como entusiasta e posteriormente atuando no campo da pesquisa. Parte de seu trabalho está incluso no livro "A Modificação Corporal no Brasil - 1980-1990" e grande parte depositada aqui no FRRRKguys.com.br.