Spectrum reinventa o mercado da joalheria para o corpo

0 Flares 0 Flares ×

Fotos: Spectrum Oficina Spectrum

Uma das dificuldades que percebemos – através de entrevistas e conversas com profissionais – em relação à profissão de body piercer é que na última década a produção de joalheria para o corpo quase não aconteceu no Brasil. Exceto raros casos, a exemplo de Farias, em São Paulo, que vem desenvolvendo peças – alargadores e piercings – exclusivas para o corpo. Ainda assim, em comparação com a década de 90, assistimos um certo desmoronar no que se refere a produção nacional de peças para o corpo. O que gerou uma série de problemas: limitação para o profissional, para o cliente e uma série de peças de qualidade questionável circulando no mercado.

Essas tantas joias de qualidade duvidosa encheram as lojas, estúdios e até mesmo as convenções de tatuagem. O que notamos é que não só a qualidade da joalheria caiu, mas em meio a todo esse processo de assimilação em massa, a própria profissão de body piercer sofreu uma grande desvalorização. Ainda utilizando como parâmetro os anos 90.

Obviamente que nem sempre alto custo é sinônimo de qualidade, mas se tratando da joalheria para o corpo, foi o que aconteceu. Além da qualidade ter baixado, o design das peças também seguiram uma única linha possível. A produção chinesa dominou e massificou a joalheria nacional. Os poucos fabricantes nacionais, fecharam as portas.

Enquanto nos sites de produtores internacionais era possível encontrar um design inovador e atual, ficava perceptível que a qualidade também era outra. Importar esses materiais foi uma opção. Mas infelizmente existe uma burocracia aberrante para se importar para o Brasil essas joias para o corpo. Sem nos esquecermos de mencionar os incontáveis casos de compras que não chegam até os compradores, seja por extravio ou por encontrar barreiras alfandegarias. A competição se tornou desleal.

Foi pensando nessa situação e na intenção em contribuir com esse mercado que o ourives Gabriel Estevão – contando com o apoio e orientação do body piercer Luciano Iritsu – fundou a Spectrum Micro Joias. Associando criação, design e principalmente qualidade.

1604705_297816793700923_1430565870_n

Gabriel tem um longo histórico na fabricação de joias. De 1998 até 2005 atuou com a Spectrum Piercings, fabricando e fornecendo suas joias para diversos estúdios brasileiros. Após encerrar suas atividades com o piercing, justamente por conta da desvalorização, se voltou para a joalheria tradicional.

Atualmente a Spectrum é uma das principais fabricantes no Brasil. Sua produção envolve piercing, microdermal e outras peças exclusivas para o corpo. Falando em exclusividade, existe uma coleção de clickers em constante progresso, variando não só nos modelos, mas também nos banhos de cada peça. 10257978_302404833242119_2126112781781706867_n

A partir da semana que vem estaremos reabrindo o nosso shopping eletrônico e você poderá comprar todas essas joias diretamente conosco. Fica a dica desde já.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

2 thoughts on “Spectrum reinventa o mercado da joalheria para o corpo”

  1. Venho aconpanhando Spectrum no facebook, e realmente é impressionante as joias…

    É o que realmente estava faltando para o Brasil, pois até os proprios clientes leigos já tem noção que as joias chinesas são prejudiciais..

    Enquanto isso vou aguardando a loja virtual.

    =D

Deixe uma resposta