Suspensão corporal em Helicóptero no Paraná

0 Flares 0 Flares ×


Cada vez mais vão surgindo novas formas de se suspender. Seja através da utilização de alguma inusitada parte do corpo ou como um “suporte” um tanto quanto “diferente”. Em um caso ou o outro, estamos de olho acompanhando – quase – tudo.
Recentemente vimos algo inédito, ao menos em terras brasileiras. Estamos falando de uma suspensão corporal feita em um helicóptero. O autor de tal façanha foi o Max Alves de Umuarama, Paraná. Confira abaixo o vídeo e a breve conversa que tivemos sobre tal acontecimento.

T. Angel: Como surgiu a ideia da suspensão?
Max Alves: Eu vi um video do Allen Falkner suspendendo o Mágico Das Ruas anos atrás. Não lembro direito quando, mas faz tempo… Passando por Hollywood e tals… Fiquei impressionado, pensando “se isso é possivel eu quero fazer”. E fiquei maquinando. Conversei com um monte de parceiros e sempre ouvia: “É díficil”; “É impossivel”; “Acha que vai conseguir um piloto louco pra fazer isto?”; “Só deu certo por que os caras eram gringos”;
Então, neste final de ano veio um piloto aqui na cidade, pra uma apresentação de natal. Meu amigo Grilo do Guia vertical – o mesmo que me ajudou na tirolesa – me chamou e disse: “Você não queria um helicóptero?”
Fui lá a noite, falei com o piloto e marcamos para o outro dia. Ele meio sem saber o que era. Quando chegou e viu aquilo levou até um susto, mas não arregou não. Falou assim “já levei gente pra abrir picada no meio da floresta, pendurado por corda, você vai ser fácil”.
O Matoso e o Filipi fizeram as perfurações, o Grilo cuidou dos nós, e lá fomos nós…

T. Angel: Houve algum tipo de medo ou preocupação maior que a comum?
Max Alves: Na verdade pensamos em tudo antes. Há muito tempo tinha o projeto, o Grilo é especialista em rapel e técnicas verticais. Não tive medo, além do comum da suspensão…

T. Angel: Cogitou a ideia de sobrevoar Umuarama?
Max Alves:
Na realidade, a ideia era voar mais, mas existem uns lances legais e o custo é elevadíssimo.
Com o tempo que tinha pra organizar, não teria como. O piloto foi é gentil comigo em fazer só aquilo.

T. Angel: Fica para um plano futuro?
Max Alves:
Claro. Um dos planos futuros.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

About T. Angel

No cenário da modificação corporal brasileiro desde 1997, inicialmente como entusiasta e posteriormente atuando no campo da pesquisa. Parte de seu trabalho está incluso no livro "A Modificação Corporal no Brasil - 1980-1990" e grande parte depositada aqui no FRRRKguys.com.br.