Jovem sofre cyber bullying por conta das modificações corporais

0 Flares 0 Flares ×

1509935_707278812649274_1193234982772821565_n

Ficamos em dúvida em qual seria o título mais apropriado para essa matéria. É bem verdade que se trata de um jovem que sofreu cyber bullying por conta de suas modificações corporais, mas ficamos pensando na quantidade de jovens que sofrem esse tipo de violência diariamente, sendo assim, talvez o título devesse estar no plural para ser mais justo… Explicando a nossa escolha, não usamos o plural em uma tentativa de nos centrar no caso que apresentaremos adiante, mas por favor, ao ler esse texto mentalmente pluralize. São muitas as pessoas que sofrem cyber bullying por conta de seus corpos, modificados dentro do nosso recorte ou não. São muitas as pessoas que sofrem preconceito e violência por conta de seus corpos  e não apenas no plano virtual, e novamente, modificados ou não. Isso precisa parar.

Leia também:
* Uma mensagem para a menina que não conheço…
* Corpos modificados e o preconceito na cidade

Apresentando o caso, iremos falar sobre o modelo norte americano Yves Mathieu, que além de ter um sorriso precioso tem boa parte do corpo tatuado e algumas perfurações no rosto. No cotidiano hábito de postar um selfie no Instagram, Yves recebeu algumas mensagens de ódio. De uma forma covarde, gratuita e pela simples vontade de ofendê-lo, as pessoas depositam palavras negativas. A necessidade disso a gente desconhece. Cansado dessa situação o modelo tornou o seu desabafo público.

 

925587_694743203947123_1938759002_n

É certo que as modificações corporais foram uma espécie de disparador do preconceito ao qual Yves Mathieu foi vítima, no entanto, gostaríamos muito de chamar a atenção de todos vocês para as palavras “bicha” e “viado” que aparecem. Perceba que não se trata apenas de um preconceito contra as modificações corporais, mas é também um discurso homofóbico e afirmamos isso, pois é o típico caso onde se utiliza a palavra “bicha”, “viado” ou até mesmo o “gay” para ofender, depreciar e violentar simbolicamente uma pessoa.

Abaixo reproduzimos o desabafo que Yves Mathieu fez publicamente pelas redes sociais.

“Se isso fosse há três anos, ser chamado por palavras como “reclamão”, “bicha”, “viado” ou sendo dito que arruinei meu “fino rosto” com tinta, me desencorajaria e me colocaria no fundo do poço, eu costumava ser extremamente suicida por causa de pessoas como estas, minha autoestima costumava ser terrível, mas depois que eu fui salvo eu percebi que fui feito à imagem de Cristo, então, essas palavras e coisas que as pessoas dizem não podem me quebrar, para aqueles que direcionam mensagens com coisas negativas e comentários negativo, eu amo vocês.”

Não sabemos se você que está nos lendo agora tem o hábito de ofender gratuitamente as pessoas pela internet ou pela rua. Se sim, pedimos: pare com isso! Não sabemos se você que está nos lendo usa a expressão “que viado” no sentido pejorativo. Se sim, pedimos: pare! Como também não sabemos se você foi vítima de cyber bullying e teve a sua autoestima, confiança e amor próprio arruinados por conta de palavras e atitudes similares a que denunciamos aqui através de Yves. Se sim, você não está sozinha ou sozinho. Nós estamos com você!
Para concluir só queríamos deixar claro que nós lutaremos arduamente para que essa violência tenha fim ou que seja minimizada. Acreditamos que podemos coexistir em um mundo sem cyber bullying, onde todos os corpos possam ser livres e lindos, cada qual com as suas infinitas pluralidades.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

Deixe uma resposta