Piercing como estilo de vida é o lema que tem movimentado série de vídeos

0 Flares 0 Flares ×

13563319_1175345729184012_1426927496_n(Rodrigo Buga entrevista o body piercer Jean Carlos)

Há mais de uma década trabalhando como body piercer, Rodrigo Buga de Carapicuíba, Grande São Paulo, resolveu dar mais um passo em sua carreira. Então, desde o ano passado vem produzindo conteúdo em vídeo no formato programa de entrevista, Buga tem falado sobre o body piercing como um estilo de vida. O mais legal é que o material – de piercer para piercer – está disponível gratuitamente na web. Assistimos todos os vídeos divulgados até o momento e algumas perguntas rodearam nossas cabeças e assim fomos conversar com o profissional, que muito cordial e prontamente nos respondeu.

Percebemos que a maioria dos entrevistados divulgados até o momento não são brasileiros, então ficamos curiosos em entender o motivo dessa escolha. Rodrigo Buga nos respondeu que:

“Quando pensamos em fazer um projeto de grande impacto e que vai dar muito trabalho a gente sempre fica procrastinando, inclusive quando isso envolve investimento financeiro. Pra não ficar a ideia só no papel, eu comecei a entrevistar as pessoas que participam do meu ciclo de amizade e levei em conta também a oportunidade do momento e disponibilidade do entrevistado. E isso envolve também minha equipe de videomaker. As primeiras entrevistas que eu fiz foi no evento Pro Piercers League, que rolou nos dias 21 e 22 de Fevereiro de 2015 em Brasília. Nesse evento eu tive a oportunidade de entrevistar vários piercers, inclusive os estrangeiros. Fiz a primeira entrevista com o piercer Eduardo Bez (Brasília), antes mesmo de começar o evento. Durante o congresso eu entrevistei os piecers brasileiros Tiago Rodrigues (Goiânia) e Luciano Iritsu (São Paulo). Porém somente a entrevista com o Bez ficou legal a gravação. Em algumas entrevistas cometemos erros na captação do áudio, sabe como é, era a nossa primeira vez. As únicas entrevistas que ficaram boas (mais ou menos), foram com o Eduardo Bez, Fingaz (Chile) e Mauricio Torres (Chile). Por isso que não houve a publicação dos vídeos com os brasileiros. Mas agora temos novos materiais e nesses não cometemos as mesmas falhas. Vivendo e aprendendo sempre.”

13565624_1175346539183931_1723189659_n(Rodrigo Buga e o Mauricio Torres, body piercer chileno)

13576456_1175355052516413_1780715444_n(Rodrigo Buga e Eduardo Bez, body piercer de Brasília)

Quem acompanha o nosso trabalho sabe o quanto a questão de gênero está presente em nossa produção, inclusive, recentemente publicamos AQUI uma grande lista de mulheres profissionais do piercing ao redor do Brasil. Dito isso temos nos perguntando o tempo todo porque as mulheres não aparecem em determinados espaços e funções.  Quando assistimos todos os vídeos e não vimos nenhuma mulher sendo entrevistada, ficamos incomodados e questionamos essa ausência. Sobre esse ponto o Buga nos respondeu que:

“Conforme comentei na primeira questão, tudo é baseado na oportunidade, no momento. Não há um critério definido como idade, sexo, etc… Agora estou deixando as coisas fluírem naturalmente. Deixo o universo colocar essas pessoas no meu caminho. Por aqui estamos fazendo um teste piloto de um programa. E a primeira gravação foi com uma mulher body piercer. Essa nova fase do “piercing estilo de vida”é bem mais complexa, pois são dias de gravações e passamos do estágio do bate-papo de entrevista de poucas horas de gravação para um documentário mais completo com mais de uma diária de gravação.”

13565422_1175346032517315_246840166_n(Gravação com a body piercer Flávia Colombera de Jundiaí)

Por fim, já que falamos tanto sobre o piercing como estilo de vida, não poderíamos deixar de querer ouvir o significado que essa expressão tem para quem está movimentando e criando conteúdo debruçado sobre ela, Buga nos contou que:

“Comecei a observar que as pessoas que trabalham com body piercer tem alguns pontos em comuns em se tratando do estilo de vida. Se você trabalha na área, comece a analisar que você também vai perceber vários pontos se conectando, como: ideologia, alimentação, crenças, religião, estilo musical, dentre outras formas de viver. Tive certeza desse “piercing estilo de vida” no encontro Latino America Body Piercing no México em 2014. Nesse evento tive a oportunidade de encontrar diversos piercers de lugares, como: Estados Unidos, Chile, Espanha, Venezuela, Brasil, México, Uruguai, Colômbia, dentre outros que eu não me recordo no momento. Convivendo com essa galera diariamente pude enxergar nitidamente esse estilo de vida em comum.”

10167934_693837614036877_1141734002633273762_n(Rodrigo Buga com o Fakir Musafar no México)

10801788_700809053339733_6561628232227870475_n(Rodrigo Buga com Gonzalo Sepulveda, body piercer chileno)

Conhecemos a dificuldade que é produzir conteúdo sobre modificação corporal de modo independente e voluntário. Então, acreditamos que toda a produção nacional sobre a temática precisa mais do que ser vista, ser apoiada por toda comunidade.  Rodrigo Buga além de ter muito conhecimento sobre a temática, tem um carinho precioso sobre tudo que ronda em torno das modificações corporais. É uma generosidade sem tamanho da parte dele promover a cena como ele tem feito, para que tenhamos acesso a esse material no conforto de nossas casas e possamos aprender um pouco mais sobre as pessoas que estão escrevendo nesse exato momento essas histórias sobre o corpo modificado. Do lado de cá, fica o nosso agradecimento. Desejamos vida longa ao projeto e esperamos aprender muito através desses conteúdos.

Se você se interessa pelo assunto ou desejar conhecer mais sobre o piercing como estilo de vida, é só se seguir o canal e se envolver. O vídeo abaixo é uma chamada e partindo dele você pode assistir os demais. Boa aventura!

Rodrigo Buga deixa agradecimentos especiais para Gil Gonçalves, Ivan Cruzz e Ronaldo Santana por participarem desse projeto e a todos os piercers do mundo.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

About T. Angel

No cenário da modificação corporal brasileiro desde 1997, inicialmente como entusiasta e posteriormente atuando no campo da pesquisa. Parte de seu trabalho está incluso no livro "A Modificação Corporal no Brasil - 1980-1990" e grande parte depositada aqui no FRRRKguys.com.br.