Uruguai: a busca de uma identidade na modificação corporal

0 Flares 0 Flares ×

Tattoo by Leonardo Valverde – Uruguai

Uruguai, país que faz fronteira com o Sul do Brasil e com o Oeste da Argentina, tem um índice elevado de desenvolvimento humano comparado a outros países da América do Sul.
Apesar de ser um país que não se destaque no quesito tamanho (apenas 176 mil km²), o Uruguai coloca-se como sendo o pioneiro na adoção de políticas sociais.
O país definitivamente não é grande e. pequeno também é o cenário da modificação corporal por ali.
Num passeio pelas ruas de Montevideo, capital do país, é perceptível que a existência de pessoas modificadas é quase nula, diferentemente de cidades como São Paulo no Brasil, Buenos Aires na Argentina e Santiago no Chile.
Fato curioso, é que você encontra mais studios de tatuagem do que pessoas tatuadas em si.
Se você se questiona sobre implantes, escarificações ou outras técnicas de modificação corporal, a resposta é a seguinte: existe um único studio que faz tais manipulações do corpo, e mesmo assim não há uma grande procura.
O que não quer dizer que não tenha pessoas interessadas pelo assunto, existe um público, mas este é uma minoria.
Uma minoria que reclama a falta de profissionais e a dificuldade de encontrar artigos para a customização do corpo.
Uruguai traz em sua história da modificação corporal apenas 5 convenções de Tatuagem e Body Piercing e uma única revista.
Fato que chama a atenção, é que a revista “Cuerpo Cultura Body Art”, teve um único exemplar em 2004 e acabou devido à ausência de público que consuma tal informação. Depois disso não existiu mais nenhum outro material sobre a modificação corporal uruguaio.
Apesar de ser um país que faz fronteira com o Brasil e a Argentina, não é comum encontrar publicações desses países por lá.

O país não tem previsão para uma próxima convenção de tatuagem e tão pouco para publicação de alguma outra revista, uma vez que o tatuador Leonardo Valverde, responsável pela revista e também um dos organizadores da Convenção, deixa o país para atuar na Espanha.

A minoria uruguaia adepta da modificação corporal sente-se órfã e aguardam para que haja uma expansão no cenário da modificação corporal e que o país se destaque na formação de bons profissionais e que estes não tenham que sair de lá pra conseguirem colocar em prática suas técnicas.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 0 Flares ×

Deixe uma resposta