Tongue Splitting

2 Flares 2 Flares ×

Lastresize (Procedimento realizado por Dark Freak, São Paulo)

“Como tantos outros tipos de modificações corporais modernas, tongue splitting também é feito porque as pessoas simplesmente querem a habilidade de modelar seus corpos de acordo com seus próprios desejos. ” Encyclopedia of body adormment – Margo DeMello

O tongue splitting é a bifurcação central da língua, dando a aparência de língua de cobra. Com o tempo e dependendo do quanto a língua foi bipartida, cada parte pode ser controlada separadamente. O procedimento pode acontecer de diferentes maneiras, o método recomendado pelo BMEzine como sendo o mais seguro, é que se procure um cirurgião oral que trabalhe com laser. Numa breve descrição de procedimento, o doutor aplica anestesia, faz a marcação guia e posteriormente inicia o corte lentamente com o uso de laser, que ao mesmo tempo que corta cauteriza. De modo geral, normalmente o procedimento todo leva em torno de quinze minutos e não sangra muito. A cicatrização primária leva em torno de duas semanas e a cicatrização total por volta de um mês. Importante sempre ter em mente que cada corpo vai ter o seu tempo de cura.
Uma outra maneira de se realizar o split e um dos primeiros métodos utilizados, foi o chamado Tie-Off, que exige que o sujeito tenha uma perfuração na língua, por onde irá passar um fio de nylon ou fio-dental bem apertado, este, com o tempo vai cortando a língua ao meio. Esse procedimento pode levar semanas, e o sujeito que se dispõe a ele, tem que ter um alto grau de tolerância a dor. Falar e comer se tornam tarefas árduas durante esse processo e a maioria das pessoas que optaram por essa forma, acabam por cortar a última parte da língua com uma lâmina. O que nos parece é que atualmente esse tipo de procedimento é bem pouco utilizado.
Por sua vez, o método mais comum para a realização do tongue split é através do scalpelling, em resumo, cortar a língua ao meio utilizando uma lâmina, usualmente um bisturi. É um método que também não leva muito tempo, mas que geralmente tem muito sangramento. Para isso os profissionais que trabalham com essa técnica utilizam um cauterizador ou a própria sutura para estancar o sangramento.

felipe 2(Procedimento realizado por Dark Freak, São Paulo)

Por fim, temos a técnica através do cauterizador. Basicamente a língua é bipartida pelo instrumental, que corta e cauteriza ao mesmo tempo. Não é uma técnica com grandes riscos, porém, bastante dolorosa. Falando em riscos, toda manipulação do corpo tem os seus e vale frisar, que não são poucos, por isso a necessidade de se procurar de preferência um dentista que esteja disposto a realizar o procedimento de split ou um body modifier profissional altamente qualificado.
Historicamente o tongue splitting foi mencionado em diversos textos da Índia antiga sobre práticas de yoga. Sabe-se que é uma das formas dos yogis, adeptos de tal prática, de se relacionarem com o divino. Na mitologia hindu é bastante comum personagens com a língua bipartida, como também temos em outras crenças, mas frequentemente ligadas ao mal. Como no cristianismo que a língua bipartida é relacionada à imagem de satã.
No ocidente contemporâneo o primeiro split documentado foi realizado na Itália em 1997 e posteriormente, em 1998, houveram mais alguns registros, cada um utilizando uma técnica diferente, segundo aponta o BMEzine. Fotografias, revistas e a publicação de “experiências” na internet constituem a documentação que nos referimos. O norte americano Erik Sprague aka.The Lizardman, foi um dos primeiros a ter a unidade bipartida e partilhou a experiência em seu próprio site e no BMEzine.com. Você pode ler CLICANDO AQUI.

felipe(Procedimento realizado por Dark Freak, São Paulo)

Ainda segundo o BMEzine, é a partir do ano 2000 que o “tongue splitting se torna uma das técnicas mais populares, comuns, seguras e com maior grau de satisfação pessoal” dentre os adeptos das body mods. Se em 1998 era possível mensurar quantas pessoas no mundo possuíam a unidade bipartida, na primeira década do ano 2000 se torna impossível quantificar. A impossibilidade se dá pelo crescente número de adeptos das práticas, de profissionais em formação e da grande quantidade de procedimentos feitos seguindo o lema do it yourself (faça você mesmo). As primeiras aparições de línguas bipartidas no Brasil vão se dar nesse período. Apenas na primeira década do ano 2000 milhares de pessoas bipartiram suas línguas, nas mais diversas cidades brasileiras. Igualmente foram muitos profissionais que faziam o procedimento.
O tongue splitting é um procedimento que hoje encontrou um grau de qualidade estética muito interessante no Brasil, todavia, percebemos que os profissionais buscam se aperfeiçoar ainda mais. O aperfeiçoamento tem se mostrado através das suturas, biosegurança, assepsia e resultado estético final de alguns profissionais. Muitos entusiastas e profissionais buscam o que se convencionou chamar de deep tongue splitting, isto é, quando a bipartição é funda e as partes da língua ficam bastante separadas.
Os motivos que levam as pessoas a cortarem – por vontade própria – as suas línguas são muito variados, a exemplo, estético, artístico, sexual, etc. Que grosso modo atendem os seus desejos de modelarem e remodelarem seus corpos como quiserem.

1533899_10152121620893726_800179150_n(Procedimento realizado por Alexandre Anami, São Paulo)

Cicatrização e cuidado pós-operatório
O procedimento exige bastante cuidado “pós-operatório”, tais quais, higienização bucal e assepsia. Cada corpo vai ter o seu tempo de recuperação, mas de modo geral, depois de uma ou duas semanas já temos uma cicatrização primária, sendo possível falar e comer de modo relativamente normal. A cicatrização total se completa usualmente em um mês. Quando o procedimento envolve a sutura, como no Brasil a maioria dos registros apontam o uso, estas podem ser removidas depois de sete dias. Deste modo não se difere muito do tempo de cicatrização de um piercing na língua, por exemplo.

576606_461023860591132_348209561_n

Splitting Thata22(procedimento realizado por Dark Freak, São Paulo)

Durante o período de cicatrização é recomendável que se evite troca de fluídos através do beijo e também do sexo oral, é importante lembrar que é uma área aberta, ferida e sensível, tão logo, passível de contaminação e infecção (HIV, hepatite, etc). Tenha paciência e bastante cuidado com seu corpo (e da pessoa com que você se relaciona), depois haverá bastante tempo para você beijar e lamber tudo o que achar que deve.
É bastante comum que aconteça um retrocesso após o corte, isto é, que as partes cortadas se unam novamente. Normalmente recomenda-se que se utilize nos primeiros dias uma gaze, ou pedaço de algodão ou plástico filme no meio da língua, para evitar que o retrocesso seja grande. Há muitos casos em que uma pessoa corta a língua mais de uma vez por conta disso e para conseguir o resultado desejado, ou seja, que as partes fiquem bastante separadas.

anami (Procedimento realizado por Alexandre Anami, São Paulo)

Riscos
Apesar de ser um procedimento seguro de ser realizado por profissionais brasileiros, ele também oferece riscos, principalmente quando realizado por amadores destreinados. Os riscos envolvem reação à anestesia (o que é bastante sério e pode causar a morte). A perda de sangue e hemorragia seria um dos maiores riscos, e caso venha acontecer o ideal é que se procure a emergência de algum hospital. O ferimento de glândulas e nervos da língua também é possível, principalmente nos casos em que há intensa profundidade do corte.
Como já dissemos acima, a chance de infecção é um outro risco que não pode ser levado com pouca seriedade. Como dissemos acima e voltamos a repetir, procure sempre um profissional experiente e capacitado para que seu procedimento seja realizado da melhor forma possível.

splitting 1226(procedimento realizado por Dark Freak, São Paulo)

O tongue splitting não altera o paladar e tão pouco a fala de quem passa pelo procedimento. Antes de partir sua língua ao meio, converse bastante com o profissional que você escolher. Em caso de dúvida e falta de segurança, a melhor decisão é não fazer o procedimento e esperar para amadurecer a ideia. Por fim, este é um dos procedimentos mais populares dentro da comunidade da modificação corporal, ainda assim, ele é categorizado como uma modificação corporal extrema.

Abaixo galeria de imagens da nossa gente bifurcada.

unnamed
Sick Mick teve o procedimento realizado por Binho Bartuzzi, Portugal.

1074991_1414354152141760_832767083_n
Jéssica Granada
teve o procedimento realizado por Silas, São Paulo.

Enzo
Doug Freak
teve o procedimento realizado por Enzo Sato, São Paulo.

ska
T. Angel
teve o procedimento realizado por Skatuaba, São Paulo.

2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 2 Pin It Share 0 Reddit 0 Email -- 2 Flares ×

About T. Angel

No cenário da modificação corporal brasileiro desde 1997, inicialmente como entusiasta e posteriormente atuando no campo da pesquisa. Parte de seu trabalho está incluso no livro "A Modificação Corporal no Brasil - 1980-1990" e grande parte depositada aqui no FRRRKguys.com.br.